A NOSSA VONTADE DE DANÇAR - Eguimar Felício Chaveiro

25/09/2013 12:00

   

Nasce mais um rebento da realeza britânica; o papa beija o rosto de criancinhas; morre um menino intoxicado pelo uso de droga feito pela mãe; neymar chega em Barcelona. O cancer continua crescendo no Brasil. O preço do pão subiu e a nova geração da MPB é mesmo muito boa, há gente com 20 anos. Na consecução do sujeito global, o problema não é o preço das passagens, nem tanto a tarefa de enfrentar o novo desafio, mas deixar a saia da mamãezinha. Clarice e Niezstche são os mais lidos - isso é um depoimento. Se a depressão continuar convém procurar a benzedeira... Há assuntos demais e todos nos atravessam. A lucidez depende do silêncio como as flores do olhar. Às vezes precisamos de dar um grito, fechar o rosto porque a medicina popular e as intervenções sirúrgicas não curam a hipocrisia, nem compreendem a nossa vontade de dançar.

 

Eguimar Felício Chaveiro

Professor Associado do IESA/UFG
Membro da Academia Trindadense de Letras

eguimar@hotmail.com